sábado, 31 de dezembro de 2011

2011 no Cinema: Brad Pitt

Melhor Ator
Brad Pitt
A Árvore da Vida

Brad Pitt carregou por muitos anos o estigma de canastrão. O primeiro grande trabalho de William Bradley Pitt nas telonas foi em Thelma e Louise, de Ridley Scott, e ele não fazia muito no filme, a não ser conquistar a personagem de Geena Davis com seu abdômen. Desde então, Brad Pitt foi o galã máximo de Hollywood com outros tantos filmes, como Lendas da Paixão e Encontro Marcado. Seus desempenhos eram sofríveis, Brad Pitt não é o caso de talento nato, mas dilapidado com o tempo. Com muita persistência, dedicação e escolhas certas, Pitt começou a mostrar que é um grande ator. Se David Fincher foi um verdadeiro ás na manga com filmes cruciais como Seven, Clube da Luta e O Curioso Caso de Benjamin Button; Alejandro González Iñarritú com Babel arrancou um de seus desempenhos mais cortantes; e Andrew Dominik lhe rendeu o prêmio de melhor ator no Festival de Veneza com O Assassinato de Jesse James, Terrence Malick foi responsável pela interpretação mais comovente do ator em A Árvore da Vida. No filme, Pitt interpreta o Sr. O'Brien um pai rigoroso e, por esta razão, temido por seus filhos, mas amoroso e dedicado à família. Em sua composição, Pitt traz um homem ríspido e com concepções duras e amargas sobre a vida, um contraponto bem claro à Sra. O'Brien de Jessica Chastain. O ator acerta ao evitar sobrepor a inflexibilidade de O'Brien aos sentimentos que ele nutre por seus filhos e sua esposa, há sensibilidade naquele homem, porém ele a manifesta de uma maneira diferente. Apesar de toda a agressividade e o temor que provoca nos meninos, Pitt deixa claro que é apenas uma forma que O'Brien encontrou de prepará-los para vida. Trata-se de um daqueles casos em que se conjugam na carreira de um ator o momento apropriado e o filme certo para realizar um trabalho simplesmente brilhante.

Em anos anteriores: Lenardo DiCaprio em Ilha do Medo (2010), Ryan Gosling em A Garota Ideal (2009), Daniel Day-Lewis em Sangue Negro (2008), Gerard Butler em 300 (2007) e Philip Seymour Hoffman em Capote (2006).

Veja lista de indicados aqui.

Nenhum comentário: