sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Missão Impossível - Protocolo Fantasma


Tom Cruise encara mais peripérsias na pele do agente Ethan Hunt em Missão Impossível - Protocolo Fantasma.

Missão Impossível - Protocolo Fantasma tem três funções: preparar o terreno para a carreira de Brad Bird (diretor das animações da Pixar Os Incríveis e Ratatouille) em filmes live action, reacender o interesse por Tom Cruise no que ele sabe fazer melhor (filmes de ação) e divertir as plateias sem maiores ambições. Pois bem, todas as três metas são alcançadas com êxito pela quarta e melhor (!) produção da franquia. Se o filme de 1997 de Brian DePalma era pretensioso demais, se John Woo carregou na tinta em 2000 e se J.J. Abrams frustrou muitos com a decisão de envolver o protagonista da franquia em um casamento em 2006, Brad Bird desata todos estes nós, sem descartar os filmes anteriores, realizando um espetacular trabalho no gênero. Missão Impossível - Protocolo Fantasma é um filme que acerta por ter o timing perfeito, sabe que expectativas deve cumprir e respeita os limites do bom senso, evitando prolongamentos e tentativas de tornar complexo ou dramático demais um universo que essencialmente não o é. Sem demérito algum, pelo contrário. O quarto filme da franquia Missão Impossível é diversão garantida.

Duas sequências dominam praticamente todo o filme, uma ocorrida em Dubai e outra em Bombaim, ambas espetaculares. Bird conduz tudo com muito humor e com um nível de tensão que deixa o espectador envolvido em cada desdobramento da trama. Outra decisão acertada do diretor é fortalecer a ideia de equipe, ressaltar que Ethan Hunt não é autosuficiente e que seus parceiros não são peças descartáveis, como erroneamente os diretores anteriores fizeram. A equipe formada por Simon Pegg, Paula Patton e Jeremy Renner detém uma sinergia incrível do início ao final do longa. Pegg é hilário sem cair nos exageros e nas piadas impertinentes; Paula Patton pode gabar-se, sem o menor constrangimento, de ser a nova heroína dos filmes de ação, feminina e dominatrix na dose certa; e Jeremy Renner traz humanidade e destreza ao seu personagem, demonstrando que tem potencial no gênero e pode assumir tranquilamente a coroa de Matt Damon na nova franquia Bourne.

Mas é claro que o grande regente desta orquestra de peripérsias ivestigativas é Tom Cruise. Se redimindo de filmes ruins como Encontro Explosivo e Leões e Cordeiros, sem falar da sua constrangedora e excessivamente exposta vida pessoal desde o seu casamento com Katie Holmes, o ator tem um desempenho vibrante e mostra que é um dos grandes astros do cinema de ação, um gênero que, definitivamente, domina como ninguém. Missão Impossível - Protocolo Fantasma é apenas um aperitivo, uma amostra do que Brad Bird pode fazer com gente de carne e osso. Para Tom Cruise é a grande oportunidade de voltar aos trilhos do sucesso com um filme muito bem resolvido e que redime fracassos anteriores.



Mission Impossible - Ghost Protocol, 2011. Dir.: Brad Bird. Roteiro: Josh Appelbaum e André Nemec. Elenco: Tom Cruise, Jeremy Renner, Paula Patton, Simon Pegg, Michael Nyqvist, Léa Seydoux, Anil Kapoor, Vladimir Mashkov, Josh Holloway, Tom Wilkinson. 133 min. Paramount.

Um comentário:

bruno knott disse...

Agora sei exatamente o que esperar deste QUARTO filme de franquia. Aumentou minha vontade de assistir, devo dizer!