sábado, 21 de janeiro de 2012

As Aventuras de Tintim

Spielberg resgata icônico personagem de Hergé em As Aventuras de Tintim.
Cavalo de Guerra foi um pouco decepcionante para quem esperou por quase quatro anos o retorno de Steven Spielberg no comando de um filme. Felizmente, no mesmo ano, Spielberg nos oferece As Aventuras de TinTim um primor técnico e artístico do diretor que nos faz voltar aos seus tempos de Os Caçadores da Arca Perdida. Dinâmica, inteligente e visualmente deslumbrante, As Aventuras de Tintim resgata toda a porção lúdica que não víamos há alguns anos de Steven Spielberg. Para quem ainda não conhece, As Aventuras de Tintim se baseia na clássica série dos quadrinhos do belga Hergé. Nela um intrépido repórter investigativo que casualmente envolve-se em tramas policiais misteriosas. Aqui, Tintim investiga um segredo envolvendo uma antiga embarcação chamada Licorne, a chave para o mistério está em três réplicas que guardam três enigmáticas mensagens. Para solucionar o caso, Tintim conta com a ajuda de seu fiel parceiro, o cãozinho Snowy (adorável!), traduzido aqui para Milú, e o Capitão Hadoche, um beberrão veterano dos mares.

Para começo de conversa, é inadmissível que qualquer pessoa tenha a primeira experiência com As Aventuras de Tintim  nas limitadas proporções de um televisor com imagens capturadas precariamente de salas de cinema, ainda que seu televisor tenha o máximo de polegadas possível. As Aventuras de Tintim tem as proporções da telona e Spielberg distribui a ação minunciosamente por todos os cantos da tela. Lindamente fotografado, a animação em motion capture é um deleite para os olhos e oferece o que Spielberg sabe fazer de melhor, uma satisfatória e empolgante aventura. Sem grandes rapapés ou pretensões de querer ser mais do que é, As Aventuras de Tintim é objetivo e direto na definição de seus propósitos e de seus personagens. Trata-se da veia escapista de Spielberg em sua máxima potencialidade, como só ele sabe fazer.

As Aventuras de Tintim é inquestionavelmente um marco técnico na animação. A captura de movimento de atores nunca foi tão bem aplicada em prol das expressões e composição de seus personagens, assim como a confecção dos ambientes pelos quais eles circulam. Já tínhamos comentado como 2011 foi importante para resgatar a vybe das matinés dos anos 1980 com Capitão América - O Primeiro Vingador e, de certa maneira, ainda que um pouquinho frustrante, com Super 8. As Aventuras de Tintim firma em definitivo este subgênero do cinema americano com seu mestre: Steven Spielberg.




The Adventures of Tintin, 2011. Dir.: Steven Spielberg. Roteiro: Edgar Wright, Steven Moffat e Joe Cornish. Performances capturadas de: Jamie Bell, Daniel Craig, Andy Serkis, Nick Frost, Simon Pegg, Toby Jones, Mackenzie Crook, Tony Curran. 107 min. Paramount.





Um comentário:

Adecio Moreira Jr. disse...

Planejando ir pegar um cinema pra vê-lo hoje. Pelo visto, Spielberg voltou à boa forma depois dos últimos filmes tão regulares.