domingo, 13 de maio de 2012

Prognósticos da Riviera

Marilyn Monroe é a homenageada nas artes desta edição do Festival de Cannes.
A partir desta quarta-feira, dia 16 de maio, o calendário cinematográfico mundial abrirá espaço para um dos mais emblemáticos festivais de cinema do mundo, o Festival de Cannes, em sua 65ª edição. Os filmes selecionados no festival deste ano trazem diferentes nacionalidades e cineastas, a maioria mais jovem que o habitual.
2012 será marcado pelo retorno de nomes consagrados em edições passadas (Walter Salles, Michael Haneke e Nicole Kidman), estreantes na competição (Wes Anderson e Marion Cotillard) e pelo trio de ídolos adolescentes (Robert Pattinson, Kristen Stewart e Zac Efron).
Em quase 10 dias de exibições de filmes, coletivas de imprensa e a premiação final, o Raining Frogs acompanhará a recepção dos principais títulos, desde os filmes em competição, até aqueles que fazem parte das Sessões Especiais, Un Certain Regard e Cannes Classics.
Marion Cotillard retorna às origens em De rouille et d'os, de Jacques Audiard.

O filme que abrirá o festival é Moonrise Kingdom, a ser exibido no dia 16 de maio. O longa é dirigido por Wes Anderson, o cineasta responsável por Os Excêntricos Tenenbauns e Viagem a Darjeeling. O elenco é formado por Bill Murray, Edward Norton, Tilda Swinton, Bruce Willis, Harvey Keitel e Frances McDormand. A premissa original traz dois namorados adolescentes que, na década de 1960, fogem da repressão de sua cidade natal.
Anderson não é figurinha fácil do festival, mas surge como um veterano. Diferente de erros estratégicos anteriores - Ensaio sobre a Cegueira em 2008, por exemplo - Cannes 2012 resolve optar por um filme mais leve em sua abertura.
No dia seguinte, quinta-feira (17), o festival traz um "prato da casa", De rouille et d'os, de Jacques Audiard, que dois anos atrás causou comoção com sua estreia em O Profeta. Desta vez, Audiard conta com uma estrela da terra no elenco de seu filme, Marion Cotillard, que depois da vitória no Oscar por Piaf - Um Hino ao Amor volta a atuar em uma produção francesa. A atriz vive uma treinadora de baleias orcas que sofre um terrível acidente e perde as duas pernas. Sua personagem se envolverá com um homem que tenta reconstruir sua vida depois que passa a morar com sua irmã e seu cunhado. Este personagem será interpretado por Matthias Schoenaerts, ator belga do inédito no Brasil Bullheads. Desde já Marion é uma candidata a ser superada na Palma de Ouro de melhor atriz.
Sexta-feira (18) será dia de cinema italiano na Riviera Francesa. Reality, de Matteo Garrone, será exibido. Garrone esteve no festival em 2010 com Gomorra, filme que investigava a atuação de grupos criminosos na Itália contemporânea. Desta vez, Garrone adentra no universo dos reality shows através de seu protagonista, que ao se inscrever em um famoso programa de televisão do gênero tem a percepção da realidade modificada drasticamente. Entre os nomes mais famosos do longa está o de Clauda Gerini, de A Desconhecida, de Giuseppe Tornatore. 

 
Rin Takanashi se submete aos testes emocionais de Abbas Kiarostami como a prostituta de Like Someone in Love.

Sábado (19) será o dia de Lawless, novo filme de Jill Hillcoat, diretor de A Estrada. O elenco é formado por Shia LaBeouf, Tom Hardy, Jessica Chastain e Guy Pearce. O longa é ambientado na Depressão Americana e traz a perseguição a um grupo de criminosos na Virginia. O filme tem uma presença silenciosa no festival, o que pode ser muito bom, já que pode superar expectativas. Além disso, Hillcoat vem depois do alardeado A Estrada que, a despeito do visual arrebatador, decepcionou muita gente. Aqui, o destaque também vai para o retorno de Jessica Chastain, estrela do vencedor do ano passado, A Árvore da Vida, ao festival.
No domingo (20), o festival recebe Michael Haneke, vencedor do festival de 2010 pelo excelente A Fita Branca, Caché e A Professora de Piano. Enfim, o alemão é um dos preferidos do festival e chega nesse ano com Amour, longa protagonizado por uma de suas parceiras mais conhecidas, Isabelle Huppert, também de A Professora de Piano. Amour conta a história de um casal de professores de música aposentados na faixa dos 80 anos. A vida de ambos é abalada quando um deles tem um problema de saúde e o sentimento de ambos é colocado à prova. Huppert vive a filha do casal. O longa também conta com a presença de William Shimell, de Cópia Fiel, e Jean-Louis Trintignant, de A Fraternidade é Vermelha, no elenco.
Na segunda (21), o controverso diretor iraniano Abbas Kiarostami, de Cópia Fiel, filme que rendeu a Juliette Binoche a Palma de Ouro de melhor atriz, exibirá Like Someone in Love. O drama é falado em japonês e traz a história de uma jovem que paga seus estudos trabalhando como prostituta. O longa é protagonizado por Rin Takanashi.  O cineasta dividirá o dia com o francês Alain Resnais, de Medos Privados em Lugares Públicos, que trará Vous n'avez encore rien vu, com Mathieu Almaric, de Turnê, e Lambert Wilson, de Homens e Deuses. O novo filme de Resnais traz a história de um grupo de atores que reúnem-se para assistir a um último pronunciamento de um dramaturgo que está à beira da morte.   
Sam Riley e Garrett Hedlund são os novos viajantes no road movie definitivo de Walter Salles: On the Road.

Depois destas exibições, no dia 22, terça-feira, o festival dá vez à histeria dos tapetes vermelhos com grandes estrelas do cinema atual. A primeira delas é Brad Pitt, que participa mais uma vez do festival que lhe trouxe sorte com A Árvore da Vida, Bastardos Inglórios e Babel. O ator protagoniza Killing me Softly, de Andrew Dominik, diretor que deu a Pitt o prêmio de melhor ator em Veneza por O Assassinato de Jesse James pelo covarde Robert Ford. O filme traz a história de um homem que investiga um assalto orquestrado durante um arriscado jogo de pôquer. O elenco de coadjuvantes do filme inclui Ray Liotta, James Gandolfini e Richard Jenkins. Neste mesmo dia será exibido o novo trabalho do inglês-irlandês Ken Loach, de Ventos da Liberdade, que trará The Angels Share, filme que pretende narrar com bom humor a história de um grupo de homens que com medo de parar na cadeia decide realizar uma série de ações, começando por ma destilaria de whisky. Ken Loach traz aqui, novamente, caras novas ou pouco conhecidas.
Na quarta-feira, 23, On the Road fará sua aguardadíssima passagem por Cannes. O longa que ficou por mais de duas décadas nas mãos de produtores e diretores badalados chegará pelas mãos do brasileiro Walter Salles, figurinha adorada no festival. Mas é claro que boa parte da imprensa estará mais interessada em ver Kristen Stewart, a principal presença feminina do longa, falar sobre as mais variadas trivialidades. Como se trata de Cannes, certamente o alvoroço será contido e as perguntas deslocadas serão censuradas pelos próprios jornalistas em coletivas. Baseado na obra de Jack Kerouac, o filme acompanhará a viagem da dupla Sal Paradise e Dean Moriarty, um aspirante a escritor de Nova York e um ex-presidiário. Os personagens que eles encontrarão pelo caminho são vividos por atores como Kirsten Dunst - que já chega ao festival com ótimas expectativas dos produtores -, Amy Adams, Viggo Mortensen e a brasileira Alice Braga. O filme é protagonizado por Garrett Hedlund, de Tron - O Legado, e Sam Riley, de Control.

Robert Pattinson em teste de fogo de David Cronenberg, cena de Cosmópolis: agora vai?

Segundo integrante da tríade favorita dos adolescentes da nova década, Zac Efron chega com expectativas de amadurecer sua carreira com The Paperboy, de Lee Daniels, na quinta-feira (24). No entanto, o que o jovem ator não esperava, nem seus agentes, era que o longa tivesse chegado aqui graças aos encantos de sua parceira de cena, Nicole Kidman. O filme vem sendo anunciado como o retorno da australiana ao tapete vermelho do festival após quase uma década - a atriz já apresentou filmes como Um Sonho Distante, Um Sonho sem Limites, Moulin Rouge! e Dogville em Cannes. O diretor do festival fez questão de alardear para todos os cantos que o desempenho de Kidman em The Paperboy é fenomenal e que isso foi um fator decisivo para a escolha do filme na seleção do festival. Uma escolha arriscada, afinal The Paperboy está longe de ser o tipo de filme que o festival recebe com sorrisos. O filme é um drama policial noir que traz a história de dois irmãos que investigam o assassinato de um xerife de uma cidadezinha no sul dos EUA. A investigação os leva a uma misteriosa mulher que tem o hábito de escrever cartas de amor a presidiários. Além dos dois atores já mencionados o filme traz John Cusack, Matthew McConaughey, Macy Gray e Scott Glenn.
Dia 25, sexta-feira, é a vez de David Cronenberg, de Um Método Perigoso e Marcas da Violência, que traz Cosmópolis. O filme é veículo de Robert Pattinson que atuará ao lado de Juliette Binoche, Samantha Morton, Paul Giamatti e Mathieu Amalric (ufa!). O filme chega com ótimas expectativas e é um projeto que vem sendo desenvolvido há anos por seus realizadores. Trata-se da chance definitiva de Pattinson mostrar que pode ser um bom ator. O filme segue a história de um bilionário de 28 anos que circula por Nova York conhecendo uma série de personagens que promete mudar as prioridades de sua vida. O filme promete o retorno de Cronenberg, após uma pausa com Um Método Perigoso, a suas produções com violência estilizada e cheia de passagens delirantes.
O retorno do furacão, agora loiro, Nicole Kidman, com dois filmes no festival: cena de The Paperboy.

No sábado (26), Jeff Nichols fará sua estreia na competição do festival. O diretor esteve em Cannes e foi mencionado por diversos veículos no circuito fora de competição por O Abrigo. Desta vez, Nichols chega no festival com Mud, filme protagonizado por Matthew McConaughey, Reese Whiterspoon e Michael Shannon, seu protagonista no filme do ano passado. Mud é a história de dois adolescentes que conhecem um fugitivo e prometem fazê-lo reencontrar a mulher de sua vida. Depois de O Abrigo, pode-se esperar qualquer coisa de Jeff Nichols e Mud é um filme com um escopo bem maior que o filme de 2011. Outro adendo sobre o filme é a presença de McConaughey, disposto a reescrever a sua trajetória.
Para fechar o festival no domingo (27), o francês Claude Miller, de Um Segredo de Família, apresentará Thérèse D. O filme traz a história de uma esposa infeliz que luta para se ver livre das pressões sociais e da entediante vida suburbana que leva. A protagonista do filme é Audrey Tatou, a eterna Amelie.

Além da seleção de competição, Cannes exibirá Madagascar 3; Drácula 3D, de Dario Argento e o mega-projeto da HBO de Philip Kaufman, Hemingway & Gelhorn (com Nicole Kidman e Clive Owen).

Da esquerda para a direita: Nanni Moretti, Ewan McGregor, Alexander Payne, Diane Kruger e Jean Paul Gaultier.

O júri não poderia ser mais variado. Presidido por Nanni Moretti, diretor do recente Habemus Papam, tem o inglês Ewan McGregor (Moulin Rouge!), a alemã Diane Kruger (Bastardos Inglórios), a francesa Emmanuelle Devos (Coco antes de Channel), a palestina Hiam Abbas (O Visitante), o estilista francês Jean Paul Gaultier, o cineasta americano Alexander Payne (Os Descendentes) e o cineasta haitiano Raoul Peck (Lumumba).
Quais as escolhas que um júri como esse pode fazer? Difícil prever. O que se sabe é que o resultado final sairá daqui há duas semanas.

Para acompanhar as coletivas e os anúncios do festival, acesse o site oficial aqui.

Nenhum comentário: