quarta-feira, 20 de junho de 2012

10 personagens de Nicole Kidman



Hoje coloquei toda a minha porção fã para fora e escancarei!
Por não ser preferência exclusiva do Raining Frogs...
Por não ser uma unanimidade e mesclar, ao longo de sua filmografia, filmes cultuados e premiados com verdadeiras barcas furadas...
Por colecionar prêmios por sua interpretação em longas como Moulin Rouge! e As Horas e já ter sido indicada ao Framboesa de Ouro por A Feiticeira e Esposa de Mentirinha...
Por ter saído ilesa de um casamento com Tom Cruise ...
Por conseguir concentrar em si mesma o status de estrela hollywoodiana e atriz comprometida em sair da zona de conforto...
Por ter se submetido à batuta de cineastas tão díspares como Stanley Kubrick, Lars Von Trier, Baz Luhrmann, Gus Van Sant, Alejandro Aménabar, Stephen Daldry, Jane Campion, Steven Shainberg, Jonathan Gleizer, Noah Baumbach e John Cameron Mitchell...
Por ter tido coragem de trabalhar duas vezes com Joel Schumacher...
Por ser australiana...
Por ser Nicole Kidman...

A atriz merece um Top 10 com as melhores interpretações de sua carreira nesta quarta-feira, dia 20 de junho, quando completa 45 anos de vida.

#10. Alice Harford 
De Olhos bem Fechados (1999)
Dir.: Stanley Kubrick
Com: Tom Cruise


Alice Harford desestabiliza o marido. Assume numa noite, após ficar chapada, que já desejou outros homens. O estudo sobre a fidelidade e fantasias sexuais de Stanley Kubrick pode não ser um dos seus filmes mais elogiados, mas fez desabrochar a atriz que existia em Kidman e vivia sufocada pelo casamento. A exemplo de Alice, De Olhos bem Fechados foi uma espécie de "olha, eu existo, não estou satisfeita com os rumos de minha carreira e o culpado é você". A melhor cena é justamente aquela em que Alice surpreende seu até então seguro marido ao revelar seus sonhos eróticos com um outro homem. A experiência com Kubrick foi intensa e até hoje Nicole o considera como seu grande mentor. Kubrick disse: "Nicole, deveria se dedicar mais a sua carreira". A australiana seguiu o conselho e fez uma dúzia de trabalhos interessantes após esse aqui.

#09. Satine 
Moulin Rouge! - Amor em Vermelho (2001)
Dir.: Baz Luhrmann
Com: Ewan McGregor e Jim Broadbent

Quando Kidman for dessa para uma melhor, seu nome estará imediatamente associado ao musical de Baz Luhrmann, Moulin Rouge!. O filme, também estrelado por Ewan McGregor, fez surgir a estrela Nicole Kidman, a atriz já tínhamos visto em Um Sonho sem Limites. Semelhante às grandes estrelas da era de ouro dos musicais, a australiana surge no filme através de um número musical, "Sparkling Diamonds". Mas não foi somente essa sequência que nos fez levemente esquecer Marilyn Monroe que torna o trabalho de Nicole em Moulin Rouge! especial. A atriz soube traçar a trajetória trágica de sua heroína, transformando Satine em uma mulher que mostra-se como uma fútil e insaciável prostituta para a sociedade, mas que no fundo é frágil e sonhadora. Isso torna o trabalho de Kidman inesquecível. Moulin Rouge! foi a primeira indicação ao Oscar de melhor atriz de Nicole. A atriz também ganhou o Globo de Ouro de melhor atriz em musical ou comédia pelo musical. Sem dúvida, seu melhor e mais marcante filme.

# 08.Virgínia Woolf 
As Horas (2002)
Dir.: Stephen Daldry
Com: Meryl Streep, Julianne Moore e Ed Harris

Kidman seguiu a cartilha para ganhar um Oscar: interpretou uma personagem real e utilizou a maquiagem para esconder seu rosto, considerado um dos mais belos e harmônicos do cinema. Para quem gosta de reproduzir a brincadeira de Denzel Washington na noite de entrega do Oscar, é bom começar a repensar... A australiana incorporou a natureza melancólica e existencial da escritora inglesa Virgínoa Woolf em As Horas. Kidman parece ter entrado na alma da escritora que seus olhos na primeira cena de Virgínia Woolf desnudam a personagem. Além do Oscar de melhor atriz, Kidman ganhou o Globo de Ouro de atriz em drama e o Urso de Prata de melhor atriz no Festival de Berlim, junto com suas colegas de elenco Meryl Streep e Julianne Moore, pelo mesmo filme.

# 07. Margot 
Margot e o Casamento (2007)
Dir.: Noah Baumbach
Com: Jennifer Jason Leigh e Jack Black

Ela não é a irmã, a amiga, a mãe ou a cunhada que você queria ter, mas os personagens de Margot e o Casamento têm que conviver com Margot, personagem de Nicole Kidman. A protagonista do filme de Noah Baumbach é absolutamente intragável, mas Kidman não simplifica seus traços e evita tranformá-la simplesmente em uma bitch. A Margot da atriz é uma mulher marcada por suas duras experiências familiares que a tornaram uma pessoa intolerante, amarga e cruel. Infelizmente, foi direto para o mercado de home video no Brasil, mas merece ser descoberto.

# 06. Anna 
Reencarnação (2004)
Dir.: Jonathan Gleizer
Com: Lauren Bacall e Anne Heche

Trata-se de um dos trabalhos mais subestimados da atriz - junto com A Pele, biografia da fotógrafa Diane Arbus que não está aqui porque estamos levando em conta a interpretação e, neste caso, o filme é mais interessante que a atuação de Nicole em si. Reencarnação causou muito barulho no Festival de Veneza porque trazia uma cena de Nicole nua em uma banheira com um garoto de 10 anos, que no filme afirmava ser a reencarnação do falecido marido da personagem da atriz. O filme é um estudo sobre o luto e Kidman protagoniza uma das cenas mais lindas do cinema, àquela em que cogitando a possibilidade da afirmação do garoto ser real, ela ri e chora na plateia de uma ópera. Mas não é apenas uma cena que marca o trabalho de Kidman aqui, a atriz conduz toda a angústia de Anna ao longo do filme: o menino é ou não é a reencarnação de seu amado? Rendeu a Nicole uma indicação ao Globo de Ouro de melhor atriz drama.


# 05. Becca 
Reencontrando a Felicidade (2010)
Dir. John Cameron Mitchell
Com: Aaron Eckhart e Diane Wiest

Não há nada que se compare a dor de uma mãe ou um pai pela morte de um filho. A adaptação da peça Rabbit Hole ganhou sua versão cinematográfica pelas mãos do cineasta John Cameron Mitchell, de Shortbus, e foi o primeiro filme produzido por Nicole Kidman. Reencontrando a Felicidade representa tudo o que Kidman sempre preferiu em sua carreira, papéis femininos multifacetados e diretores que pudessem lhe proporcionar experiências diferenciadas. Após fiascos comerciais e artísticos como A Bússola de Ouro e Austrália, Kidman volta aos trilhos com este filme e conquista sua terceira indicação ao Oscar de melhor atriz.A interpretação dela é interessante pois dá a exata dimensão da dor de Becca e encontra perspectivas originais para expor o drama do luto materno. Há doses interessantes de humor, por exemplo. Um grato retorno.

# 04. Isabel Archer 
Retratos de uma Mulher (1996)
Dir.: Jane Campion
Com: John Malkovich, Viggo Mortensen e Christian Bale

O clássico de Henry James ganhou uma adaptação pela diretora que ajudou a carreira de Nicole Kidman na Austrália, Jane Campion. Retratos de uma Mulher é a primeira e única colaboração das duas. Nicole interpreta Isabel Archer, uma mulher sufocada pelas convenções e pelo machismo de uma época. As cenas com John Malkovich são angustiantes e Kidman retrata muito bem a personalidade reprimida de Archer. Uma das mais bonitas interpretações de Nicole. A câmera contemplativa e lenta da diretora de O Piano torna tudo ainda mais especial. 


# 03. Grace Margareth Mulligan 
Dogville (2003)
Dir.: Lars Von Trier
Com: Paul Bettany, Lauren Bacall e Stellan Skarsgaard

Mais uma personagem feminina inserida em um contexto de exploração, Grace de Dogville. Natural, qualquer atriz que passe pelas mãos do dinamarquês Lars Von Trier não sai ilesa. As filmagens foram extenuantes e a abordagem teatral (não há cenários, apenas marcações no chão com giz) exigiu dos atores. Nicole gradualmente leva Grace ao limite, culminando com um final catártico que diz muito sobre a natureza humana. Por sinal, esse é o objetivo de Dogville, muito mais que os paralelos com as relações internacionalmente mantidas pelo governo norte-americano, como muitos associaram.

# 02. Grace Stewart 
Os Outros (2001)
Dir.: Alejandro Aménabar
Com: Fionnula Flanagan e Christopher Eccleston

Grace Stewart não tem consciência sobre quem realmente é. Este é um dos pontos centrais para se entender a personalidade da protagonista de Os Outros. O filme basicamente contou com a condução de Aménabar e a interpretação de Nicole Kidman. Há pouquíssimos recursos digitais e o suspense é mantido por "truques" de iluminação e edição. Cristã, solitária, autoritária, mas extremamente carinhosa e dedicada aos filhos e ao casamento, a personagem não suporta o peso da revelação sobre o passado. Surgiram comparações com as icônicas "loiras" dos filmes de Alfred Hitchcock e todas elas procedem. Rendeu a Kidman uma indicação ao Globo de Ouro de melhor atriz drama e muitos afirmam que certamente renderia uma indicação ao Oscar para a atriz, caso as regras da Academia permitissem que uma mesma atriz fosse indicada na mesma categoria por trabalhos diferentes. Naquele ano, a atriz concorreu ao prêmio com  Moulin Rouge!.

# 01. Suzanne Stone Maretto
 Um Sonho sem Limites (1995)
Dir.: Gus Van Sant
Com: Joaquin Phoenix, Matt Dillon e Casey Affleck

O primeiro grande papel de Nicole Kidman foi Suzanne Maretto, uma jovem aspirante a repórter que faz de um tudo para conseguir um cargo em uma emissora local. Suzanne é uma psicopata: fria, louca e ambiciosa. O filme de Gus Van Sant foi a Cannes - não foi exibido na competição oficial - e surpreendeu muitos que duvidavam do potencial da atriz quando ainda era conhecida como a Sra. Tom Cruise. Suzanne cria intrigas, alicia menores e comete assassinatos, a típica bitch que a gente ama conhecer somente nas telas. Infelizmente, o filme não ganhou uma versão em DVD no Brasil. A Sony, que tem os direitos do filme, merecia um puxão de orelha por não lançá-lo no formato.

Um comentário:

Alan Raspante disse...

Excelente a lista. Aliás, os comentários estão ótimos. Realmente, Kidman é uma excelente atriz e não precisa mais provar isso...

Adorei o primeiro lugar. "Um Sonho sem Limites" merece o posto ;)