sábado, 31 de maio de 2014

Drops: Malévola


Nos contos de fadas, vilões são interessantes, sim. E normalmente conseguem chamar mais atenção do que as bondosas e puras princesas. O mal exerce um estranho fascínio em nós. Mas vilões são personagens que correm pelas beiradas da história, eles conduzem a ação e os conflitos, mas por mais que sejam interessantes, não são os protagonistas, se fossem, seriam chatos. Dito isso, a decisão de transformar Malévola na grande protagonista do conto A Bela Adormecida em Malévola era uma tragédia anunciada. A trama do filme gira em torno da personagem que, como sabemos pela própria animação da Disney, não é tão profunda assim em suas motivações e propósitos. Recontar essa história, atenuando os traços de vilania de Malévola foi um grande tropeço dos estúdios Disney que parece ter se rendido aos encantos de ter Angelina Jolie como carro-chefe de uma de suas produções, dai o motivo do filme ser centrado na figura de Malévola, e esquecer do seu próprio legado. Do início ao fim, a narrativa, a interpretação dos seus atores e o visual de Malévola evidenciam o grande equívoco que foi essa produção que só tem a pretensão de ser profunda em sua "investigação" da natureza do mal da boca para fora. Na verdade é uma grande e ruidosa banalidade movida pelo fascínio que o público tem pelo que representa Angelina Jolie fora das telas. Sim, porque nas telas, a Sra. Jolie já perdeu o interesse e o vigor faz tempo, aparecendo com cada vez menos frequência em projetos, o que só reforça a ideia de que muito em breve não mais a veremos a frente das câmeras. A esperança que fica é de que seus derradeiros filmes sejam melhores que essa fantasia capenga da Disney.

2 comentários:

paulo brandao disse...

O trailer de "Malévola" está muito bem feito mas é ótimo saber que o filme não está com essa bola toda para abaixar minhas expectativas. ;-)

Stella Daudt disse...

Wanderley, adorei "Malévola"! Achei que Angelina incorporou bem a vilã suprema da Disney. Para a protetora do Reino dos Moors, aquela que consertava os galhos quebrados das árvores, voava em liberdade e não conhecia a falsidade, a perda de suas asas e a traição de Stefan provocaram uma ferida profunda. Mas o bem ainda hibernava em seu coração. Ao ver aquela criancinha indefesa aos cuidados de três fadas tolinhas e negligentes, seu lado protetor despertou. Tudo fez sentido. Ante a confiança e pureza de Aurora, Malévola viu despertar seus bons sentimentos. Achei uma versão linda e muito possível. Um abraço, s.