quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Drops: Homem Irracional



É óbvio que há de se admirar a produtividade de Woody Allen, que aos 79 anos de idade e em meio a uma indústria que prioriza a reciclagem através de remakes, reboots e adaptações consegue conceber histórias extraídas da sua própria "cachola". No entanto, existem momentos em que fica evidente a necessidade de um profissional desacelerar um pouco o ritmo de produção para arejar as suas ideias, se reinventar. Talvez seja esse um dos problemas do Allen, não existe espaço para "respiros" em sua carreira e seus filmes recentes oscilam entre grandes obras (Blue Jasmine, Meia-noite em Paris, Match Point) e projetos medianos (Magia ao Luar, Você vai conhecer o homem dos seus sonhos , Para Roma com Amor). Homem Irracional talvez seja um dos piores exemplares do realizador nos últimos anos e o seu resultado é consequência de uma certa repetição e desgaste temático do universo do cineasta. O filme conta a história de Abe Lucas (Joaquin Phoenix), um professor do departamento de Filosofia de uma universidade no interior dos EUA. Logo que começa a lecionar lá, ele acaba fascinando Jill (Emma Stone), uma de suas alunas que se apaixona pelo intelecto mas também pela natureza melancólica do professor. Abe está completamente desmotivado e pessimista, concluindo que sua vida nunca teve propósito algum. Tudo muda quando ele encontra na realização de um crime a motivação que ele estava procurando para continuar a viver. Allen retorna a um de seus temas recorrentes em Homem Irracional. O diretor, mais uma vez, tenta entender a origem e a natureza do ato criminoso. Um pouco de Crimes e Pecados, um pouco de Match Point, Homem Irracional fica no meio do caminho com poquíssima coisa a acrescentar ao currículo do realizador. Há uma forte e marcante presença de Joaquin Phoenix, mas isso não é o suficiente para extirpar a sensação de déjà vu que em nada favorece o filme, muito pelo contrário, exaure todo o interesse do espectador pela experiência de assistir à obra, ainda que ela venha repleta da inteligência, humor e sofisticação do velho Allen.  

Nenhum comentário: