segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

Drops: Pegando Fogo



Bradley Cooper encarna Adam Jones, uma espécie de Gordon Ramsay, em Pegando Fogo novo filme de John Wells, que dois anos atrás dirigia Álbum de Família, com Meryl Streep e Julia Roberts. Apesar desse filme ter um elenco tão estelar quanto o filme de Wells de 2013 - pensem que além do protagonista, desfilam na tela Uma Thurman, Emma Thompson, Riccardo Scamarcio, Omar Sy, Alicia Vikander, Lily James -, todas as atenções são mesmo para Cooper e, pontualmente, para dois dos seus coadjuvantes mais destacáveis, Sienna Miller, interesse amoroso do protagonista no longa, e Daniel Brühl, maître do restaurante que Adam Jones começa a trabalhar. Pegando Fogo acompanha a vida do seu protagonista algum tempo depois da sua mais séria crise nervosa. Tentando recompor a sua vida e se livrar de algumas dívidas adquiridas com traficantes de drogas, Adam Jones retorna a Londres e passa a trabalhar em um restaurante comandado por um antigo amigo. Jones administra sua cozinha e chama um grupo de profissionais que o ajudarão a tornar o local um dos melhores restaurantes da cidade. Para isso, o chef buscará a sua terceira estrela Michelin, um dos títulos mais cobiçados no mundo da gastronomia. Não fosse o carisma dos seus atores principais, sobretudo Cooper, Miller e Brühl, Pegando Fogo tenderia ao fiasco, tamanha a banalidade de sua trama. O filme de Wells nunca consegue gerar dinâmicas espontâneas entre os seus personagens ou mesmo dimensionar a natureza intempestiva do seu protagonista. Tudo fica na superfície, até mesmo o romance principal não consegue oferecer o mínimo brilho à trama. Existe até mesmo uma mensagem motivacional e uma lição de vida ao fim da jornada de Adam Jones, mas tudo é muito superficial e, ao final da sessão, não ficará a menor lembrança sobre tudo aquilo que foi visto pelo espectador. 

Nenhum comentário: