domingo, 3 de janeiro de 2016

Listão 2015 - Atores




# 01. Channing Tatum
Foxcatcher - Uma História que chocou o Mundo

Do elenco principal de Foxcatcher - Uma História que chocou o Mundo, Channing Tatum foi o único que não recebeu indicações a prêmios na temporada passada. Levando em consideração o que Tatum conseguiu com sua performance no filme de Bennett Miller foi uma grande esnobada. O ator saiu da moldura que Hollywood costuma colocar atores com a sua estampa e impressiona por seu empenho em Foxcatcher. Na pele do lutador Mark Schultz, Tatum expõe toda a vulnerabilidade, a instabilidade e a imaturidade emocional do personagem, tornando-o uma verdadeira "bomba relógio" ao longo do filme. 


# 02. Steve Carell
Foxcatcher - Uma História que chocou o Mundo

Lembrado no Oscar pelo seu desempenho em Foxcatcher, Steve Carell não impressiona na pele do excêntrico milionário John Du Pont apenas por sua transformação física, elemento que tornou sua performance nesse filme altamente subestimada nas rodinhas cinéfilas, mas também por ter conseguido manter o seu assustador personagem envolto pela imprevisibilidade ao longo de todo a narrativa, passando bem longe da caricatura do "vilão malucão". Merecia mais respeito e reconhecimento por seus esforços do que teve já que seu personagem era armadilha fácil para a caricatura e o ator o interpretou na medida certa. 


# 03. Michael Fassbender
Macbeth - Guerra e Ambição

Segurar um Shakespeare é para poucos. Segurar um Macbeth é ainda mais difícil. Foi isso que Michael Fassbender fez em Macbeth - Ambição e Guerra. Com um texto complicado marcado pelo inglês arcaico, Fassbender conseguiu uma fabulosa performance como o general escocês tomado pela ganância e atormentado pela culpa. Pode-se dizer que ele não conseguiu isso sozinho, já que contava com Marion Cotillard ao seu lado na pele de Lady Macbeth e com a condução acertada do diretor Justin Kurzel, mas a interpretação de Fassbender foi parte importante nos acertos da adaptação. 


# 04. Miles Teller
Whiplash - Em Busca da Perfeição

Quem ganhou o Oscar foi J.K. Simmons, mas quem dá todo o suor e é levado à exaustão psicológica na pele do aspirante a músico em Whiplash - Em Busca da Perfeição é o jovem Miles Teller. Não é a primeira vez que Teller nos impressiona, basta assistir a sua estreia nas telonas ao lado de Nicole Kidman em Reencontrando a Felicidade, porém aqui o ator eleva o seu potencial a outro nível. O ator compõe com maestria toda a jornada de Andrew, trafegando em caminhos como a insegurança, a arrogância e a fúria. 


# 05. Michael Keaton
Birdman (ou A Inesperada virtude da Ignorância)

O comeback de 2014-2015 foi do eterno Batman de Tim Burton, Michael Keaton, que está formidável em Birdman (ou A Inesperada virtude da Ignorância), filme de Alejandro González Iñárritu que venceu 5 Oscars no início do ano, incluindo o prêmio de melhor filme. É uma pena que uma dessas estatuetas não tenha ido para Keaton (sim, foi para Eddie RedmayneZzzzZzzZZz). Keaton dá o sangue como Riggan, um ator que tornou-se ícone no passado por viver o super-herói Birdman nos cinemas e que na maturidade encontra-se em uma profunda crise pessoal e profissional. 

Coadjuvantes


# 01. Mark Rylance
Ponte dos Espiões

Steven Spielberg e seu Ponte dos Espiões nos revelou esse que é provavelmente um dos atores do ano: Mark Rylance. Em alta também por causa da minissérie Wolf Hall, Rylance já venceu três Tony Awards e dois Olivier Awards, prêmios importantes na comunidade teatral. Nos cinemas, ele ganha pela primeira vez um merecido destaque na pele de Rudolf Abel, um espião soviético que é peça central na negociação entre EUA e União Soviética empreendida pelo personagem de Tom Hanks no filme. Rylance compõe uma figura interessantíssima, marcada pela calma, pelos gestos suaves e pelo baixo tom de voz. É uma dessas interpretações econômicas que dá gosto de assistir pela riqueza de detalhes que ela revela. Tem sido indicada a vários prêmios e torcemos para sua ótima campanha até o Oscar. 


# 02. Oscar Isaac
Ex Machina - Instinto Artificial

Desde Inside Llewyn Davis - Balada de um Homem Comum, Oscar Isaac está em tudo quanto é lugar. Em 2015, o ator esteve em Star Wars - O Despertar da Força prometendo ser o herói de uma geração na pele de Poe Dameron e em O Ano mais Violento como um paí de família em conflito com os meandros do seu trabalho. Há que se notar, porém, a interessante presença do ator em Ex Machina - Instinto Artificial como o excêntrico inventor da robô Ava, Nathan. Isaac vive um sujeito sem limites para as suas ambições que paga um preço muito alta por sua falta de "pé no chão". 



# 03. Josh Brolin
Vício Inerente

Vício Inerente, um dos filmes mais divisivos da carreira do cultuado Paul Thomas Anderson, pode ter todos os defeitos do mundo, mas eles passam bem longe do seu elenco. Na pele de Christian F. "Pé Grande" Bjornsen, o chato policial que está sempre no pé do personagem de Joaquin Phoenix, "Doc" Sportello, Josh Brolin é um elemento à parte no filme de Anderson. Alguns dos momentos mais non sense e impagáveis de Vício Inerente estão nas mãos de Brolin e sua parceria com Phoenix. 


# 04. Marcello Novaes
Casa Grande

Um dos grandes filmes brasileiros do ano, Casa Grande conta com uma das mais interessantes interpretações da carreira de Marcello Novaes. Na pele de Hugo, o patriarca de uma família burguesa em decadência, Novaes tem em suas mãos algumas das cenas chaves do longa que colocam em evidência o conservadorismo, os preconceitos e os recalques de um grupo social que não sabe se colocar diante da nova ordem das coisas na sociedade brasileira. 


# 05. Benicio DelToro
Sicario - Terra de Ninguém

Alguns disseram que o que Del Toro faz em Sicario - Terra de Ninguém é praticamente uma extensão do trabalho que lhe rendeu o Oscar de melhor ator coadjuvante em 2001, Traffic - aliás, muitos acusam o próprio filme disso. Existem algumas semelhanças, mas não deixa de ser interessante a maneira como Del Toro compõe o seu Alejandro de Sicario, um personagem completamente sinuoso em gestos e olhares, mas profundamente marcado pela raiva provocada por tragédias pessoais. É sempre interessante perceber os caminhos que Del Toro percorre no "desenho" dos seus personagens. Com esse aqui, não é diferente. 

Nenhum comentário: