sábado, 18 de junho de 2016

(Drops) 'La Vanité' trata morte com muito humor e sensibilidade


Tratando um tema espinhoso como a morte através da polêmica da eutanásia, o singelo La Vanité é um filme de humor negro bastante sensível. O realizador Lionel Baier dirige e co-roteiriza, ao lado de Julien Bouissoux, um filme de apenas uma hora e quinze minutos de duração que opera pela lógica de uma montagem teatral com poucos personagens em cena e, basicamente, um único cenário. O filme traz a história de um homem doente que resolve contratar os serviços de uma agência especializada em eutanásia através de uma de suas funcionárias. Tudo é marcado em um hotel de beira de estrada e, em meio a confissões e inventários das suas próprias vidas, os dois resolvem chamar um jovem garoto de programa, que atendia alguns clientes no apartamento ao lado, para ser testemunha do ato.
Em seu breve conto, Lionel Baier quer tratar sobre a vida e sobre aquilo que dá sentido a mesma. O cineasta conta com a presença de atores do calibre de Patrick Lapp e Carmen Maura e nos agracia com a espirituosa interpretação de Ivan Georgiev, interessantíssimo como o garoto de programa Treplev. O que é notável no resultado de La Vanité é que apesar de, como já mencionado, o filme funcionar sob uma lógica teatral, o realizador não usa isso como desculpa para se isentar da utilização consciente e inventiva da gramática cinematográfica, trazendo planos curiosos e fazendo da sua câmera uma poderosa ferramenta narrativa sempre em prol da temática que ele mesmo intenta explorar com seu roteiro. Um trabalho, no mínimo, curioso.


La Vanité, 2015. Dir.: Lionel Baier. Roteiro: Lionel Baier e Julien Bouissoux. Elenco: Patrick Lapp, Carmen Maura, Ivan Georgiev, Adrien Barrazzone, Nina Theron, Pierre-Isaie Duc, Monique Kramer, Stephanie Blanchoud. Supo Mungam, 75 min.


Assista ao trailer:

Nenhum comentário: