sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

(Listão 2016) Os melhores filmes do ano!



#10. Festa da Salsicha |  Dir.: Greg Tiernan e Conrad Vernon

Interpretado como uma animação para adultos politicamente incorreta em virtude dos seus palavrões e das suas piadas de conotação explicitamente sexuais, Festa da Salsicha é um longa subestimado. A animação idealizada pela turma do ator Seth Rogen (A Entrevista) é uma corrosiva cutucada numa sociedade guiada por cabrestos, o principal deles são os dogmas religiosos. O filme não deixa pedra sobre pedra ao contar sua história de revolução dos alimentos em tempos de #pornfood, tratando, explicitamente, desde o conflito Israel e Palestina até a relação dos americanos com aquilo que vem de fora. Tudo isso através do universo dos embutidos e tendo como pano de fundo o romance entre uma baguete e uma salsicha nas prateleiras de um supermercado. 

Como assistir:
Disponível em DVD/Blu-Ray e em serviços como o Net Now a partir de janeiro de 2017.



#09. Indignação |  Dir.: James Schamus

Interessante como esta adaptação do livro homônimo de Philip Roth chega aos cinemas em um momento importante para a difusão da sua crítica sobre a hipocrisia social em tempos nos quais todo mundo quer dar seu palpite sobre qualquer coisa nas redes sociais (e olhem que o filme se passa na década de 50). Primeiro longa dirigido pelo roteirista James Schamus (de O Tigre e o Dragão), Indignação é protagonizado por um rapaz, papel de Logan Lerman (de As Vantagens de ser Invisível), cheio de ideais e discursos progressistas que não consegue converter em ações por força dos seus fortes vínculos familiares. O filme é marcado pelas fortes interpretações de Lerman, Sarah Gadon (Mapas para as Estrelas) e Tracy Letts (A Grande Aposta), mas é o refinado trabalho de adaptação de Schamus que ganha destaque.

Como assistir:
Em breve em DVD e Blu-Ray e serviços como o Net Now.
Assista ao trailer.



#08. Tangerine |  Dir.: Sean Baker

Tangerine foi um tímido e marcante acontecimento cinematográfico. Filmado com uma câmera de celular, o filme de Sean Baker se passa nas ruas de Los Angeles e traz como protagonistas duas transexuais em seus dramas, frustrações e sonhos naquilo que é conhecido como o "submundo" de uma cidade grande. O longa de Sean Baker é um dos poucos a conseguirem captar e dimensionar com naturalidade, respeito, complexidade, simplicidade e doçura narrativa o cotidiano das duas personagens. O que é mais importante, Tangerine lança luz naquilo que ajuda trans como Alexandra e Sin-Dee, interpretadas pelas revelações Mya Taylor e Kitana Kiki Rodriguez, a perseguirem seus sonhos mesmo diante de uma realidade que lhes oferece a face da violência e do preconceito cotidianamente: a amizade e a cumplicidade de quem compartilha as mesmas dores, aspirações e uma mesma história de vida.

Como assistir:
Disponível em serviços como o Net Now.



#07. O Silêncio do Céu |  Dir.: Marco Dutra

Coprodução entre Brasil, Argentina e Uruguai, O Silêncio do Céu é um longa que reforça as marcas do seu realizador, o brasileiro Marco Dutra (de Trabalhar Cansa): a destreza que os filmes do mesmo tem ao trafegar pelo suspense. O filme funciona como um exemplar do gênero, mas no fundo é uma história sobre a incomunicabilidade de um casal e o resgate da mesma por intermédio de uma tragédia. O longa ganhou destaque pela forte interpretação de Carolina Dieckmann (de Entre Nós), cuja personagem sofre um estupro coletivo e posteriormente convive com o trauma do crime, mas vale destacar o primoroso domínio do seu realizador nas duas frentes que convocam seus esforços. Dutra oferece uma atmosfera de imprevisibilidade constante e costura uma dinâmica familiar psicologicamente complexa. 

Como assistir:
Em breve em DVD e Blu-Ray e serviços como o Net Now.



#06. O Convite  |  Dir.: Karyn Kusama

Conhecida por filmes que não lhe renderam boa fama (Garota Infernal e Aeon Flux), Karyn Kusama revela-se ao público do cinema com O Convite, longa que traz como premissa uma misteriosa reunião de amigos durante um jantar de confraternização aparentemente banal. O filme é uma carta aberta e incisiva da realizadora sobre as consequências devastadoras do uso equivocado de uma crença, que, por sinal, se alastram ao longo do filme e toma proporções preocupantes afetando o destino de todos os personagens. Kusama constrói uma história que serve aos propósitos do seu gênero, mas consegue firmar seu filme como um ensaio social e psicológico e o resultado é não menos que formidável.

Como assistir: 
Disponível no catálogo da Netflix (como The Invitation, seu título original).



#05. Meu Rei |  Dir.: Maïwenn

Na tradição de um bom drama de relacionamentos, Meu Rei acompanha a trajetória do casal Tony e Georgio. Do encantamento dos primeiros anos à dissolução de todas as fantasias românticas do seu desfecho, que, por sinal, é uma grande reticências na história dos protagonistas, o título é uma jornada emocionalmente intensa para espectador e personagens. Calibrado pelas intensas interpretações de Emanuelle Bercot (Polissia) e Vincent Cassel (Cisne Negro), o filme ganha uma dimensão ainda mais multifacetada. O longa é uma grande realização da sua diretora Maïwenn (Polissia) que, para o bem e para o mal, nos faz íntimo do casal, tornando-nos cúmplices dos seus momentos de felicidade e intimidade, mas também da revelação das suas facetas pouco sadias. 

Como assistir:
Disponível em serviços como o Net Now. Em breve em DVD. 



#04. A Bruxa |  Dir.: Robert Eggers

Se fosse "apenas" um filme de terror, A Bruxa já teria elementos suficientes para ser um dos melhores títulos lançados no Brasil em 2016. O longa cria uma atmosfera macabra de horror através do seu conto sobrenatural protagonizado por uma família de camponeses do século XVII gradualmente tomada por forças malignas. Contudo, a estreia de Robert Eggers não se contenta com esse lugar e nos conta uma história de descoberta e amadurecimento da jovem Thomasin, interpretada pela revelação Anya Taylor-Joy. O filme não tem o intuito de gerar sustos a cada segundo de projeção e talvez por isso tenha decepcionado os mais entusiastas do gênero. A grande sacada do longa, contudo, é que não é por esta via que ele merece ser observado, mas como um ensaio estético e narrativo sobre o nascimento do horror. 

Como assistir:
Disponível em DVD e serviços como o Net Now.



#03. Carol |  Dir.: Todd Haynes

Carol mobiliza no diretor Todd Haynes (Longe do Paraíso) o que ele tem de melhor a oferecer ao espectador: um melodrama de época com profundas raízes em questões sociais contemporâneas. Através do romance entre a socialite Carol Aird e a vendedora de loja de departamentos Thérese Belivet, Haynes conta, paralelamente, duas histórias. De um lado, a descoberta da sexualidade em uma jovem que por força das circunstâncias nunca havia parado para compreender os seus próprios desejos, por outro, o surpreendente aprendizado que uma mulher madura e bem resolvida pode ter a partir do encontro com a primeira. Em Carol, nasce uma das histórias de amor mais bonitas que vimos em 2016, impactada pelas brilhantes performances de Cate Blanchett (Blue Jasmine) e Rooney Mara (Millenium: Os Homens que não Amavam as Mulheres), ambas indicadas ao Oscar. 

Como assistir:
Disponível em DVD e em serviços como o Net Now.
Assista ao trailer. 




#02. Aquarius |  Dir.: Kleber Mendonça Filho

Já estávamos ambientados com o engajamento político dos filmes de Kleber Mendonça Filho (O Som ao Redor), mas nada nos preparou para o que foi visto em Aquarius, filme que balançou as estruturas da produção brasileira e mundial e que, através de fatores extra-fílmicos, serviu para agitar ainda mais o debate político no Brasil pós-Dilma. O longa de Mendonça Filho exerce um fascínio intenso no espectador se pararmos para pensar que, pela primeira vez, o realizador nos tornou íntimos de uma personagem humana e multifacetada como Clara, interpretada por Sonia Braga (O Beijo da Mulher Aranha), uma estrela internacional no auge da sua forma artística. Na luta de Clara para preservar o seu espaço e a sua identidade num Recife cada vez mais vulnerável às violentas transformações da sua geografia, como toda e qualquer capital, encontramos um filme sobre a resistência e sobre a importância de se colocar em um mundo que a todo instante subtrai de maneira violenta e camuflada nossos direitos. 

Como assistir:
Disponível em DVD e Blu-Ray e em serviços como o Net Now. 



#01. Elle  |  Dir.: Paul Verhoeven

 Tão impactante quanto Aquarius, o controverso Elle também mobilizou discussões intensas que extrapolaram o próprio universo cinematográfico. Provocando o espectador através da sua inusitada protagonista e da reação da mesma com a sucessão de violências que potencialmente a tornariam vulnerável, o diretor Paul Verhoeven (Instinto Selvagem) nos entregou mais um longa provocador e irônico que mexe com o regime de crenças do espectador o tempo inteiro. O longa ganha uma voltagem ainda mais enérgica ao ter uma atriz como Isabelle Huppert (O que está por vir) à frente da composição da protagonista Michèle Leblanc. A impressão é que tudo em Elle foi concebido para inquietar o espectador, da primeira cena até as decisões da protagonista que sucedem aquele momento. Independente da sua relação com o longa, não há como negar, Verhoeven gerou um efeito - assim como Mendonça Filho- que pouquíssimos cineastas têm a coragem de causar hoje em dia, tirar o espectador, a crítica e a própria produção cinematográfica de um lugar que lhes parecia confortável demais.

Como assistir:
Ainda em cartaz nos cinemas.
Assista ao trailer. 


Outros títulos que merecem menção:



#11. James White (veja o trailer)
Disponível no catálogo Netflix
#12. Steve Jobs (veja o trailer)
Disponível em DVD e Blu-Ray e em serviços como o Net Now
#13. Zootopia (veja o trailer)
Disponível em DVD e Blu-Ray e em exibição nos canais da rede Telecine
#14. Invasão Zumbi (veja o trailer)
Em cartaz nos cinemas
#15. Spotlight: Segredos Revelados (veja o trailer)
Disponível em DVD e Blu-Ray e em exibição nos canais da rede Telecine



#16. Caça Fantasmas (veja o trailer)
Disponível em DVD e Blu-Ray e em serviços como o Net Now
#17. Boa Noite, Mamãe! (veja o trailer)
Disponível em DVD e Blu-Ray e nos canais da rede Telecine
#18. Procurando Dory (veja o trailer)
Disponível em DVD e Blu-Ray e em serviços como o Net Now
#19. A Garota do Livro (veja o trailer)
Disponível em DVD e Blu-Ray e em serviços como o Net Now a partir de janeiro de 2017
#20. O Homem nas Trevas (veja o trailer)
Disponível em DVD e Blu-Ray e em serviços como o Net Now


*Somente filmes vistos e lançados comercialmente no Brasil em 2016 (cinema, homevideo e streamings) 

Confira outros Listões de 2016:

Nenhum comentário: